Adesão ao tratamento farmacológico anti-hipertensivo de pacientes em hemodiálise

Paulo Roberto da Silva Ribeiro, Talita Sousa Batista

Abstract


O risco de morbidade/mortalidade por doenças cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica (DRC) é elevado, sendo imprescindível a instituição de uma terapia anti-hipertensiva eficaz. A baixa adesão ou não adesão ao tratamento farmacológico anti-hipertensivo prejudica o alcance dos resultados terapêuticos no retardo da progressão da DRC. Objetivou-se estudar a adesão à terapia anti-hipertensiva em 120 pacientes com DRC em hemodiálise. Trata-se de um estudo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa, realizado entre maio a junho de 2011 na Clínica de Doenças Renais de Imperatriz – MA. Os dados foram obtidos através da análise dos prontuários dos pacientes e da aplicação de roteiro de entrevista para a coleta de dados sociodemográficos, clínicos e relacionados ao tratamento medicamentoso anti-hipertensivo. O nível de adesão ao tratamento foi estimado pelo Teste de Morisky- Green. A maioria dos pacientes é do sexo masculino (69,2%), possui idade inferior a 60 anos (69,2%), é analfabeta ou possui apenas o ensino fundamental (79,2%) e possui baixa renda mensal (90,8%). A hipertensão arterial foi a doença de base prevalente. Houve predomínio da politerapia em 78,3% dos casos. Os betabloqueadores foram os anti-hipertensivos mais utilizados, seguidos pelos bloqueadores dos canais de cálcio e agentes que atuam no sistema renina-angiotensina. O Teste de Morisky-Green apontou que 58,3% dos entrevistados apresentaram nível elevado de adesão à terapia medicamentosa. A falta de acesso aos medicamentos foi o principal motivo relatado pelos pacientes para não seguirem adequadamente o tratamento anti-hipertensivo. Verificou-se a necessidade de melhorias na assistência farmacêutica a estes pacientes e a implementação de estratégias para aumentar a adesão ao tratamento.

Palavras-chave: Adesão à medicação. Anti-hipertensivos. Insuficiência Renal Crônica. Diálise Renal. Farmacêutico.

 

ABSTRACT

 

The risk of morbidity/mortality from cardiovascular disease in patients with chronic kidney disease (CKD) is high, it is imperative to establishing an effective antihypertensive therapy. Low adherence or nonadherence to antihypertensive drug treatment impairs the achievement of therapeutic outcomes in CKD progression delay. Thus, this work aimed to study the adherence to antihypertensive therapy in 120 patients with CKD on hemodialysis. This descriptive and crosssectional study was conducted between May and June 2011 in Clínica de Doenças Renais de Imperatriz – MA using the Morisky-Green Test to measure adherence level to pharmacotherapy. Variables that may be related to adherence level were also investigated, such as sociodemographic and clinical characteristics and pharmacotherapy related factors. Based on this test, the patients were characterized as presenting either high (58.3%) or median (41.7%) degree of compliance. Statistical analysis showed no significant association between the degree of adherence and sex, marital status, origin, monthly income and duration of hemodialysis, but this association was observed with age, education, occupation and race. Although patients presented satisfactory levels of adherence, there was the need for improvements in pharmaceutical care to these patients and implement strategies to increase treatment adherence.

Keywords: Medication adherence. Antihypertensive agents. Chronic renal insufficient. Renal Dialysis. Pharmacist.


Full Text:

PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.