Determinação da atividade antioxidante In vitro das bebidas de café e chás verde e preto

Ramon Alves de Oliveira Paula, Eglaia Souza Santos, Luciana Ferreira Pinto, Fernanda Borges Araújo Paula, Maria Rita Rodrigues, Bruno César Correa Salles, Stella Maris da Silveira Duarte

Abstract


Conforme demonstrado em diversos estudos, determinadas plantas e alimentos, apresentam propriedades protetoras à saúde devido à presença de antioxidantes. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo comparar o efeito antioxidante in vitro de bebidas comercializadas de café, chá verde e chá preto, utilizando a combinação de diferentes metodologias. As bebidas foram preparadas no momento de uso, de acordo com as especificações do fabricante. Foram realizados testes para determinar o teor de polifenóis nas bebidas, e avaliar o seu poder redutor, bem como sua capacidade de quelar íons de metais de transição (Fe2+) sequestrar radicais livres, e inibir a peroxidação de lipídeos. O café apresentou maior teor de compostos fenólicos, seguido do chá verde e do chá preto (p<0,05). A análise dos resultados não revelou diferenças entre as três bebidas analisadas em relação ao poder redutor e à capacidade de inibir a peroxidação de lipídeos (p>0,05). A bebida de café apresentou uma maior atividade quelante do que o chá preto enquanto que o chá preto e o café apresentaram maior capacidade sequestrante de radicais DPPH em comparação com o chá verde. Os dados obtidos permitem sugerir que a bebida de café, provavelmente por ter maior concentração de polifenóis, pode ser considerada a melhor no que diz respeito à atividade antioxidante. Assim, a bebida de café, além de ser uma das bebidas mais populares do mundo por seu aroma e sabor, poderia também contribuir para a prevenção de danos oxidativos de maneira mais eficiente que os chás analisados neste estudo.

Palavras-chave: Antioxidantes. Café. Chá verde. Chá preto. Compostos fenólicos.

 

ABSTRACT

 

Numerous studies have demonstrated that certain plants and foods exhibit health protective properties due to the presence of antioxidants. In this sense, the present study aimed to compare the in vitro antioxidant effect of the commercialized beverages of coffee, green tea and black tea by using a combination of different methodologies. The beverages were prepared at the time of use, according to the manufacturer’s specifications. We determined the polyphenol content in the beverages and examined their reducing power, as well as their ability to chelate transition metal ions (Fe2+), scavenge free radicals, and inhibit lipid peroxidation. The beverage of coffee contained the highest amounts of phenolic compounds, being followed by green tea and black tea (p<0.05). The results revealed no differences among the three beverages regarding their reducing power and lipid peroxidation-inhibiting activity (p>0.05). The beverage of coffee displayed higher metal chelating ability than black tea. The beverages of black tea and coffee scavenged DPPH radical more effectively than green tea. The data obtained suggest that the beverage of coffee can be considered the best one regarding the antioxidant activity, probably due to its highest content of polyphenols. Thus, the beverage of coffee, one of the most popular beverages in the world for its aroma and flavor, could also contribute to prevent the oxidative damage more efficiently than the teas analyzed in this study.

Keywords: Antioxidants. Coffee. Green tea. Black tea. Phenolic compounds.


Full Text:

PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.